Artigos

7 Dicas de como avaliar dia a dia a evolução do seu cliente

Protocolos são sempre bem-vindos, e diria até indispensáveis para prescrição de exercícios que visam o emagrecimento.

Mas existem alguns pontos que devemos nos atentar durante os treinos, dia a dia, que são muito importantes para que possamos progredir de forma mais segura e eficaz.

Como falamos no post anterior, promover adaptações (progressões) é fundamental para que o cliente atinja seu objetivo. E este é nosso papel.

Muitas vezes, nossa cabeça fica procurando exercícios novos, novas ferramentas, novos acessórios, para incrementar os treinos e ter mais resultados.

Mas a principal ferramenta que temos, é nosso conhecimento, é ele que nos permite prescrever os exercícios de forma eficaz.

Neste post, veremos 7 formas de progredir com os treinos usando apenas o conhecimento das variáveis do treinamento:

  1. Descarga de peso:

Muitas vezes o aluno não consegue progredir em um exercício como o agachamento, ou os push ups, e você não entende o porquê dele sempre se sentir incomodado, sentir dores as vezes ao realizar o movimento, e até não querer fazer.

É preciso entender que o problema pode estar em como ele realiza o movimento.

Melhorar a descarga de peso nas extremidades pode fazer toda a diferença.

Ex: no agachamento, peça para o seu cliente distribuir o peso em três pontos nos pés, no dedinho, no dedão e no calcanhar.

Inúmeras pessoas tem uma forma ruim de agachar, e com isto não conseguimos progredir com as intensidades até que este movimento esteja bem executado.

  1. Amplitude de movimento

A amplitude de movimento é um fator que influencia a intensidade do trabalho muscular, muitas vezes está ligada ao aumento do braço de alavanca mecânica, o que irá gerar por consequência, uma maior sobrecarga de momento.

Portanto, é preciso progredir com estas amplitudes até o ponto em que seu cliente tenha estabilidade para executar um movimento com qualidade.

Atente-se as amplitudes, e se perceber que seu cliente tem capacidade, exija uma amplitude um pouco maior a cada dia, semana ou quinzena.

  1. Número de repetições

O aumento do número de repetições é uma forma de aumentar a demanda de trabalho para aquele grupo muscular, ou se o trabalho for em circuito por exemplo, aumentar o que chamamos de sobrecarga interna, e se controlado da maneira adequada, aumentar o custo energético da atividade.

Avalie se este número de repetições está muito tempo no mesmo patamar, progrida de 2 em 2, ou de 3 em 3 a cada quinzena, isto fará muita diferença.

  1. Número de series

Outra estratégia, é aumentar o número de séries, aumentando o volume do trabalho realizado naquele dia, isto pode também elevar o custo energético de cada exercício.

Avalie se seu cliente está a muito tempo com o mesmo volume de séries durante as sessões, incremente 2 ou 3 a mais a cada quinzena até que seja possível.

 

Nota: Uma coisa importante, é que muitos profissionais que trabalham com Pilates, não gostam de prescrever séries múltiplas, nem aumentar o número de repetições para mais do que 10. Neste caso, a variação dentro do mesmo exercício pode ser uma sugestão, o trabalho continua sendo praticamente o mesmo, mas para seu cliente, ele está fazendo duas coisas diferentes.

  1. Intervalos

Mais uma forma de manipular a intensidade do treino, é diminuir os intervalos entre os exercícios, entre as séries, deixando o treino mais intenso, e mais denso dentro do mesmo período de tempo que se tem para trabalhar, ou seja, menores os intervalos, mais exercícios dentro de uma mesma sessão.

Avalie como estão os intervalos dos exercícios, controle e diminua aos poucos estes intervalos. Esta é uma das melhores estratégias e de mais fácil aplicação.

  1. Sobrecarga externa

A sobrecarga externa é outro fator importante para gerar adaptações positivas, isto pode ser feito com o aumento das molas, ou para aqueles que trabalham com outros instrumentos de resistência (deveriam ser todos), pesos, halteres, dumbells, ketllebels, med ball, barras, anilhas, etc.

É preciso pensar sempre em progressões, e um erro fatídico que comumente é cometido, é o medo de aumentar as cargas pensando que isto irá gerar uma hipertrofia descontrolada (principalmente para mulheres).

Isto não acontecerá, seu cliente é leigo e pode ter este receio, mas você como profissional deve instruí-lo que isto é um mito, e que a hipertrofia não é algo tão simples assim.

Avalie como estão as cargas, progrida gradativamente e perceba como seu cliente irá evoluir em poucas semanas.

  1. Volume semanal

O volume semanal diz respeito ao número de horas que seu cliente se exercitará por semana, é importante que seja incrementado gradativamente este volume a fim de aumentar seu gasto energético diário total.

Pensem comigo:

Seu cliente quer emagrecer, ele vai treinar com você dois dias na semana, e outros cinco dias ele não fará absolutamente nada.

Esta conta dificilmente vai bater, vai ser difícil conseguir bons resultados com estes hábitos.

Uma alternativa para isto é oferecer outros dias de atividades, ou propor atividades paralelas que ele tenha apreço, ou no mínimo conscientizá-lo de que é preciso ter controle do que se faz nos outros dias também.

Mudar hábitos pequenos como andar um pouco mais, ficar menos tempo sentado, ter mais intervalos no trabalho para andar um pouco, ir a pé em lugares que não necessitam do carro.

Avalie quais são os hábitos dele fora do contexto de atendimento, isto fará toda diferença.

Todas estas dicas, podem ser utilizadas separadas ou em conjunto, elas são ferramentas que auxiliarão seu trabalho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *